Passar para o Conteúdo Principal

Novos livros e conteúdos enriquecem história de Sines

Livros 1 980 2500
29 Setembro 2017

Nos últimos meses, a Câmara Municipal de Sines, através do Arquivo Municipal, tem vindo a promover a discussão sobre a história de Sines e a criar novas edições e conteúdos que enriquecem o seu conhecimento.

Entre 7 e 9 setembro, o Arquivo organizou o colóquio “Sines e o Seu Porto, História e Património”, com a colaboração de várias entidades e instituições universitárias. Participaram 34 comunicantes durante os três dias. No total, estiveram presentes 130 participantes.

As apresentações do colóquio já estão disponíveis para consulta no sítio eletrónico da Câmara Municipal de Sines (http://www.sines.pt/pages/1170). As atas do colóquio serão publicadas em formato eletrónico brevemente.

Também no âmbito do colóquio foram apresentadas duas novas obras de referência para a história local.

A primeira, “Sines Medieval”, da autoria de Maria Alegria Marques, da Universidade de Coimbra, publica todos os documentos fundadores do concelho de Sines, desde a carta de elevação a vila de 1362 até ao foral manuelino de 1512. Um dos documentos inéditos e agora publicados é um ofício dos vereadores ao Rei a solicitar a proteção da indústria naval no concelho, em 1498. Além da leitura e transcrição dos documentos, é ainda publicado, pela mesma autora, um estudo crítico que problematiza os novos conhecidos trazidos pelas novas fontes.

A segunda obra lançada em setembro, “Sines, a Terra e o Mar”, de autoria de Paula Pereira e Sandra Patrício, sistematiza e sintetiza os conhecimentos atuais da história de Sines através das obras de investigação já publicadas ou em curso ao nível arqueológico e historiográfico. O recurso a fontes do Arquivo Municipal de Sines e de vários arquivos nacionais permitiu estudar factos e temas até hoje pouco estudados, como a economia e sociedade da Época Moderna, ou o papel de Sines na Guerra Peninsular. Do ponto de vista do conhecimento arqueológico, é a primeira síntese dos trabalhos arqueológicos em Sines. A obra abarca toda a história de Sines de forma clara e acessível, desde o período pré-histórico até 1971, dando destaque à história social.

Além destas duas obras, a bibliografia do concelho foi enriquecida recentemente com novas edições de “Breve Notícia de Sines”, primeira monografia de Sines, da autoria de Francisco Luís Lopes, e do romance “Ele”, a obra mais reconhecida da escritora Cláudia de Campos.

Em abril, foi publicada a obra “Sines na Revolução dos Cravos – O Povo em Luta pelos seus Direitos”, de Raquel Varela, António Simões do Paço e Luísa Barbosa Pereira.

Todos estes livros podem ser adquiridos na receção do Centro de Artes de Sines.