Passar para o Conteúdo Principal

Projeto GISA

imagem

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo, o município de Sines e um conjunto de mais 21 entidades (municípios, administrações regionais de saúde, instituições universitárias e empresas) assinaram, dia 14 de dezembro de 2007, nos Paços do Concelho de Sines, um protocolo de cooperação para a concretização do projeto GISA - Gestão Integrada da Saúde e do Ambiente no Litoral Alentejano.

Com o objetivo principal de implementar um sistema para a gestão global dos problemas de análise, gestão e controlo dos possíveis impactes da poluição atmosférica na saúde pública, este projeto é considerado um exemplo pioneiro em Portugal, pelo seu caráter avançado, envolvendo e comprometendo o tecido empresarial, as autarquias, a administração central e o suporte científico das instituições universitárias.

Tarefas

Na sua fase já desenvolvida, as principais tarefas do projeto GISA foram a otimização da rede de monitorização da qualidade do ar, a utilização de bioindicadores de poluição atmosférica para avaliar o seu impacte na saúde pública, o desenvolvimento de um sistema de alerta da qualidade do ar, a conceção de uma metodologia para a monitorização de indicadores psicossociais e de saúde pública, a análise de risco do impacte da qualidade do ar na saúde pública, a criação de um sistema de informação espácio-temporal e trabalhos de comunicação.

Parceiros

Os parceiros públicos do projeto são a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo, os municípios de Sines, Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém e Odemira e, pela componente de saúde, as Administrações Regionais de Saúde (ARS) do Alentejo e de Lisboa / Vale do Tejo.

A parceria técnica do GISA é assegurada pelo Instituto Superior Técnico da Universidade Técnica de Lisboa (IST/UTL), pela Fundação da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FFCUL), pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho e Empresa (ISCTE) e pelo Instituto de Estudos Superiores de Recursos Naturais (INESRE).

A gestão técnica cabe ao Instituto Superior Técnico, com direção da professora Maria João Pereira, investigadora do CERENA – Centro de Recursos Naturais e Ambiente.

As entidades empresariais que, face à sua responsabilidade social, participaram neste projeto foram a Petróleos de Portugal - PETROGAL, a REPSOL Polímeros, a Administração do Porto de Sines, a Águas de Santo André, a Carbogal – Carbonos de Portugal, a EDP – Gestão da Produção de Energia, a EuroResinas - Indústrias Químicas, a Kimaxtra – Produtos de Construção, e a REN – Atlântico - Terminal de GNL.

A gestão administrativa do projeto GISA cabe ao INESRE.

O GISA teve um custo de 1 milhão e 183 mil euros na sua primeira fase.

Site oficial

www.gisaproject.org

Documentos